Registre-se e crie um Perfil com as coisas que gosta. Também pode adicionar coisas novas, escrever e ler opiniões.

Jardins Proibidos

2
 

Utilizador

Eu Gosto!

Descrição:

Telenovela portuguesa que conta a história de Teresa, uma jovem de 15 anos que vive com os seus avós. Quando Teresa descobre que estes não são os seus avós verdadeiros inicia a procura em busca da sua verdadeira família.

Avalie:
Jardins Proibidos

Pessoas que gostam

Mestre
roberto romera
Mestre
♫♪⊰✿⊱Dhio⊰✿⊱♫♪

Novato
GonçaloVaz

GonçaloVaz disse

0
Só um exagerado grau de romantismo- e de chauvinismo...- pode levar a sonhar com deslumbrantes telenovelas produzidas em portugal. Importa, com efeito, perceber que não é fácil "meter no mesmo saco" todos os produtos do género, tão~distanciados em qualidade e em intenções são uns dos outros. Atalhando razões, poderemos sem erro de pecar, considerar este enredo de Manuel Arouca como um dos menos favorecidos em qualidade de todos quantos vimos - e são muitos- pelos ecrãs da TVI. Vejamos: - excessivamente previsível no enredo; - condimentado de histórias que "obrigavam" à lágrima do espectador mas pobres na intenção qualitativa; - interpretação arrepiantemente má de Vera Kolodzig como que sugeria que era melhor mudar de canal. Face àquilo que acabamos dizer, é facilmente perceptível que sobravam razões para se desconfiar do "produto líquido" que nos foi servido, distante do seu antecessor- Todo o Tempo do Mundo- longe do brilhantismo, mas ainda assim com umas gramas a mais de talento.

em 17 Fev, 2003 - Para responder identifique-se - Comunicar

Novato
pink_y

pink_y disse

0
A novela Jardins Proíbidos foi uma das primeiras novelas da TVI. Começou por ter alguma qualidade, uma historia mais ou menos interessante, mas, como tudo o que é bom tem, um dia, de acabar, a novela começou a perder qualidade. Primeiro, a história começou a parecer que não tinha fim. Enrolou, enrolou, enrolou... como se não bastasse, para que durasse ainda mais, começou a ser transmitida, em cada episódio, a última parte do episódio anterior. No fundo, vendo a novela dia sim dia não, não se perdia pitada e não se viam cenas repetidas. Depois foram os actores. A actriz que fazia de avó (não me recordo do nome) fez sempre um bom papel, embora ligeiramente teatral uma vez por outra. Mas a Ana Nave, o Almeno Gonçalves e a sonsa da Teresinha (Vera Kolodzig)...Ai! Não há pachorra! Ninguém é tão submisso e frágil com a personagem da Ana Nave que, ainda por cima, nunca conseguiu ter consistência. O Almeno Gonçalves parecia que tinha um feijão metido num sítio onde o sol não chega a não ser que estejamos na praia do Meco. E a Vera passou de menina inocente (que até tinha a desculpa de ser estreante nestas coisas) a uma sonsa mal feita que ficou com manias de actriz para sempre. Como se estraga uma produção portuguesa razoável? Faz-se dela uma produção venezuelana!

em 29 Dez, 2002 - Para responder identifique-se - Comunicar

Novato
Usuario desactivado

Usuario desactivado disse

0
Nunca fui muito apreciador de novelas pois no fundo acho que não passam da mesma coisa sempre com as mesmas situações de drama e catástrofe!Mas achei esta novela portuguesa algo de bem produzido e realizado! Gostei bastante do seu elenco, achei que estavam todos muito no interior de quem representavam e em especial foi esta a novela que lançou Vera Kolodzig para as luzes da Ribalta, embora ela ainda se mostrasse pouco á vontade, melhorou bastante! A história talvez não tenha trazido nada de novo, mas provou mais uma vez que o português é bom e ainda tem muitos talentos a representar por cá!A música da novela também foi um ponto forte!

em 23 Ago, 2002 - Para responder identifique-se - Comunicar

Novato
Jude

Jude disse

0
Jardins Proibidos foi a segunda grande novela portuguesa produzida pela TVI. Deu oportunidade a novos talentos de se revelarem como foi o caso da protagonista, a Teresa, que na realidade se chama Vera Kolodic (??). A história era tipica de uma qualquer novela ricos, pobres, maus e bons, amor e odio... ou seja tinha todos os ingredientes que uma boa novela pode ter. Eu vi e gostei de ver mas claro não podemos esquecer que era uma novela que é sinónimo de muitos muitos episódios que podem levar o espectador à saturação!! Não foi o caso pelo menos na minha opinião, quis ver o fim e vi. Lembro-me que gostava imenso da personagem do chico que era um simples pastor de dezoito anos que vivia no campo a tratar das ovelhas, e do Zé dos queijos que também era muito cómico. No minimo foi muito boa só por ser portuguesa!! Abaixo as brasileiras (não tenho nada contra mas viva PORTUGAL)

em 4 Fev, 2002 - Para responder identifique-se - Comunicar

Novato
citra

citra disse

0
Esta foi a telenovela que catapultou a TVI para os picos de audiência, vá-se lá perceber porquê! Por imposições familiares fui obrigada, várias vezes, a ver esta telenovela, o que para mim constituiu momentos de puro divertimento e alegria, dada a qualidade desta telenovela! Acredito nas capacidades artísticas dos actores portugueses e sou sua defensora, mas o que vi em Jardins Proibidos foi de rir às gargalhadas, como a cena em que o primo de Teresa beija, afastado apenas tendo as mãos nos braços da rapariga, a namorada e esta manda-o parar por não querer... mas o quê? pergunto eu, que se não me concentrasse muito, não teria descoberto que a rapariga se referia a uma relação sexual! É incrível o subaproveitamento dos qualidades representativas de quem faz disso uma arte... Nesta telenovela assistimos à saga de Teresa em busca dos verdadeiros pais, e acreditem que foi uma saga! Não sei como conseguiram prolongar o que não poderia ser mais espremido... Que enredo tão sul americano e actuações condizentes.

em 19 Nov, 2001 - Para responder identifique-se - Comunicar

Novato
Damaia

Damaia disse

0
Quando a TVI fez suceder a Todo o Tempo do Mundo, esta série ajardinada, logo, pelo arrasto em que foi mantido aquela, se adivinhava à partida mais uma história que iria ser esticada até ao tutano, inventando enredo à pressa, sem haver a preocupação mínima de saber, ou de lhe testar a consistência. Começaram por lhe chamar série, até que passaram a não lhe chamar coisa alguma, porque de facto não há nome para tal história imaginada ou para tal imaginação historiada. A mesma família rica em decadência já retractada dezenas de vezes, a filha que não sabe, a mãe o pai que, coitados também não, a avó que sempre soube e a criada dedicada, mais íssima – dedicadíssima – que fez de conta que calava a consciência com dinheiro que apareceu e desapareceu, para voltar a aparecer sem sequer ter sido visto. Suíços maus que compram fábricas, vão-se embora e não exigem a massa, um Jaime aramado em JR Ewing de trazer por casa, um médico corrupto e, ah! A mesma criada que deve ter dito um milhar de milhão de vezes a palavra “menina”. Valeu pelo nível da representação, pela Lurdes, pela Vera, pelo Zé Manel e pela professora que foi sempre abandonada – coitada – no dia do casamento, e por outros como estes. Na verdade, os actores e actrizes estiveram quase todos bem...(as/os modelos, não são actores nem actrizes pois não?) Quem meteu os pés, foi o responsável pela compra de tal enredo, ou comprou gato por lebre, ou comeu do mesmo saco. E não há lugar a descanso, eis que aí está já prontinha, outra história de faca e alguidar, com as mesmas gémeas separadas, de quem o pai só sabe de uma, Raios, assim não vale, é de mais, eu desisto!

em 4 Set, 2001 - Para responder identifique-se - Comunicar

Novato
Gotinha

Gotinha disse

0
Esta telenovela mostra que a ficção portuguesa é possível! Mostra que há público. Mostra que há bons actores das mais diferentes faixas etárias. Mas... também mostra que ainda há muito para aprender.A telenovela começou bem e prometia. Mas tem-se vindo a arrastar numa lenta agonia e o público começa a perder a paciência.As personagens deveriam ser mais reais: isto é, ninguém é tão santinho como aquela Teresa, nem ninguém é tão “panhonha” e dependente como a mãe da Teresa. Quando parece que o final está eminente.... algo acontece. É que já não há pachorra. Neste momento, a telenovela arrasta-se pois o enredo já está gasto.

em 28 Dez, 2000 - Para responder identifique-se - Comunicar

Novato
Jimmy

Jimmy disse

0
Reconheçamos que "Jardins Proibidos" tem uma história cujo enredo prende, literalmente, o interesse do espectador. A história é muito simples pelo que todos os personagens andam à volta do motivo que corporiza a novela. A interpretação é boa, a história é intimista (ao contrário dos enredos brasileiros que se disribuem por sub-histórias) e curiosamente é uma história tipicamente portuguesa! Claro que rendem o peixe com mestria, mas afinal as novelas têm por natureza essa particularidade.

em 15 Nov, 2000 - Para responder identifique-se - Comunicar

Novato
Pen

Pen disse

0
Produção nacional no seu melhor.Só que o "melhor" da nossa produção nacional ainda é muito pouco. Acima de tudo, a televisão tem de ser verdadeira. Tão verdadeira que o público acredite naquilo que vê, se esqueça que aquelas pessoas são actores e que a história é ficção.Com "Jardins Proibidos" isso não acontece. O "faz-de-conta" entra-nos pelos olhos a dentro. É o enredo de novela mexicana, os diálogos sem conteúdo, os personagens vazios de emoções e exagerados na forma, os cenários que mais parecem montras de lojas de decoração e uma iluminação tão artificial como a de um estúdio de fotografia. Quem é que acredita nisto?Da história de faca e alguidar e da péssima direcção de actores eu já nem falo...

em 15 Nov, 2000 - Para responder identifique-se - Comunicar

Novato
Usuario desactivado

Usuario desactivado disse

0
Embora as telenovelas sejam um programa televisivo que apenas interessam a alguma parte dos espectadores, todos nós admitimos que são um dos elementos que mais decidem as audiências. Na TVI, já não bastam as péssimas sessões de cinema, até as novelas não apresentam um mínimo de qualidade. Jardins Proíbidos é uma delas: uma novela pouco convincente, com argumento muito visto e previsto, com actuações miseráveis. Como é comum em todas estas séries, temos as "velhas" reviravoltas, que tentam puxar mais e mais seguidores. A verdade é que nem a reviravoltas estão bem conseguidas. Mas, de algum modo, até que tem muitos seguidores. Teresa, interpretada por Vera Kolodzig, é uma rapariga que tem dificuldades em conhecer que são os seus reais parentes. Vê-se envolvida numa trama de segredos e escândalos familiares, recebe uma herança, e sobe de popularidade na escola.Não existe nenhum ponto onde esta novela televisisva se destaque. Tem alguns "bons" actores, mas não os explora. Um programa pouco interessante, que não recomendo a ver.

em 15 Nov, 2000 - Para responder identifique-se - Comunicar

Cadastre-se em Livra para participar, ou identifique-se se já é usuário.

Mais informações

  • Canal TVI
  • Gênero Telenovelas

-

Compartilhar

URL

Estatísticas

  • Eu gosto Eu gosto 2
  • Qualificações Qualificações 11
  • Comentários Comentários 11
  • Visitas Visitas 12
Close